quarta-feira, 12 de junho de 2013

O SERMÃO EXPOSITIVO

A. OS PREGADORES PRECISAM PREGAR MAIS EXPOSITIVAMENTE. (Especialistas falam sobre a Pregação Expositiva da seguinte maneira).

(1) “A pregação expositiva, em sua essência, é mais uma filosofia do que um método”. (Haddon Robson).

(2) "Pregar a Palavra de Deus e não sobre a Palavra de Deus" (Hernandes Dias Lopes).

(3) “O texto da Escritura é fonte da mensagem e a autoridade do mensageiro. O texto dirige o sermão. O foco, o conteúdo, as ideias, as divisões e as aplicações do sermão devem ser centrados na passagem bíblica e não nos critérios, pensamentos e opiniões dos pregadores ou teólogos. Pregação expositiva é pregação centrada na Bíblia”. (Hernandes Dias Lopes).

(4) “A tarefa do pregador é ajustar seus pensamentos à ideia real da Escritura. O tema da Escritura se torna o tema do sermão”. (Greer G. Boyce).

(5) “O sentido da passagem é a mensagem do sermão. O texto governa o pregador”. (Bryan Chapell).

(6) “A passagem em si é a voz, o discurso de Deus; o pregador é a boca e os lábios, e a congregação, o ouvido em que a voz soa”. (Gustaf Wingren).

B. VANTAGENS DA PREGAÇÃO EXPOSITIVA.
(Especialistas falam das Vantagens de Pregar Expositivamente).


(1) “A pregação expositiva dá ao pregador a liberdade  de ser fiel em vez de bem-sucedido”. (Hernandes Dias Lopes).

(2) “A pregação expositiva é uma resposta à secura da nossa pregação”. (J. Grant Swank Jr.).

(3) “Este estilo dá mais confiança aos pregadores” (Walter Liefeld).

(4) “As pessoas que ouvem tal pregação são ajudadas a pensar e viver biblicamente”. (Nolan Howington).

(5) Seis benefícios da pregação expositiva de acordo com Alistair Begg.

1. A pregação expositiva dá glória a Deus, que deve ser o alvo final de tudo que fazemos.
2. A pregação expositiva exige que o pregador se torne um estudioso da Palavra de Deus.
3. A pregação expositiva capacita a congregação a aprender a Bíblia da maneira mais evidente e natural.
4. A pregação expositiva impede o pregador de evitar passagens difíceis ou de demorar-se em seus textos favoritos.
5. A pregação expositiva assegura que a congregação se beneficie de uma dieta balanceada da Palavra de Deus.
6. A pregação expositiva liberta o pregador da pressão dos preparativos de última hora...


C. OS PERIGOS DA PREGAÇÃO EXPOSITIVA.

(1). “Medo de que não vá interessar ao povo e a indolência do pregador” (Robert Dabney).

(2). “O pregador expositivo deve ter muito cuidado para não se tornar monótono em sua exposição e entrar em muitos detalhes” (Hernandes Dias Lopes).

(3). “Forma obsoleta e indesejável de pregação” (Hary Emerson Fosdick). “Todavia, as pessoas não desprezam o estilo em si, apenas o fazem quando a pregação é fraca em si mesma” (Hernandes Dias Lopes).

(4). Três acusações básicas contra a pregação expositiva no mundo pós-moderno: (Hernandes Dias Lopes).

1. É racional enquanto o espírito da era pós-moderna está interessado em imagens emotivas e não em idéias racionais; em experiências pessoais e não em verbos gregos.
2. É elitista, porque poucos a compreendem.
3. É intoleravelmente autoritária enquanto a era pós-moderna está aberta para todos os conceitos, crenças e valores.


(5). Além dos ataques externos há perigos que se precisa evitar: (Hernandes Dias Lopes).
1. Tédio: Algumas vezes a exposição é tediosa por causa da abordagem repetitiva.
2. Irrelevância: Os pregadores expositivos são acusados, algumas vezes, de responder a perguntas que ninguém está fazendo.
3. Monotonia: A pregação expositiva não depende tanto do comprimento da passagem quanto da maneira que é tratada.
4. Ausência do Espírito: O Espírito oferece, às vezes, direção específica para determinadas mensagens em ocasiões particulares.
5. Menos forma: A exposição não é feita adequadamente  a não ser que você a prepare da maneira mais abrangente possível.
6. Excesso de detalhes: Um dos maiores desafios enfrentados pelo expositor é determinar que material exegético deve fazer parte do sermão.


CONCLUSÃO:

(1). Numa era relativista, o pregador expositivo deve explicar a verdade infinita, a Palavra eterna e imutável de Deus. Este é o nosso desafio e compromisso como pregadores.
(2). “Dê às pessoas o melhor do seu estudo, apenas o que é necessário para compreender as batidas do coração do Espírito Santo no texto”. (Vines e Jim Shaddix).
(3). “Deve-se ter cautela em referir-se demasiado ao material discutido em sermões anteriores”. (David Jussely).

Apenas organizei didaticamente. Mas todo esse conteúdo, bem como os autores citados, estão no Livro A Importância da Pregação Expositiva Para o Crescimento da Igreja do Dr. Hernandes Dias Lopes. (pp 132-143).

Pr. Cirilo Gonçalves
Evangelista da IASD – AP, SP
Bacharel e Mestre em Teologia – UNASP, SP.
Doutorando em Teologia – MACKENZIE, SP.
TWITTER: @prcirilo

Um comentário:

Thiago Torres disse...

Muito grato pelo artigo que Deus o abençoe grandemente!!!